quarta-feira, 8 de julho de 2009

UAUMARTI...

O medo da concorrência em Lajeado e região é que a rede Wal-Mart deve apresentar um novo conceito de supermercado: Loja da Comunidade, oferecendo serviços de interesse da população, desde emissão de documentos e clínica médica popular até cursos profissionalizantes, serviços bancários e acesso à Internet.

Aos poucos, as lojas Wal-Mart estão aderindo ao projeto:

“Procuramos oferecer um leque amplo de serviços que atenderá os anseios da população local, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da comunidade. Tudo em um só lugar, com conforto e comodidade” - explica o vice-presidente da divisão de Especialidades do Wal-Mart, Carlos Fernandes.

Em Pernambués, na Bahia, a Wal-Mart oferece serviço de emissão de documentos; uma agência do Banco Popular do Brasil, uma clínica médica popular, uma lan house e uma sala para cursos profissionalizantes, entre outros.

“O Todo Dia Pernambués” ocupa 4 mil metros quadrados de área construída e 900 m² de área de vendas. No local, atuam 70 funcionários.

Os supermercados da bandeira Todo Dia são focados em preço, qualidade e atendimento, e voltados principalmente ao público de baixa renda. O sortimento de produtos possui cerca de 4.500 itens, entre alimentos e não-alimentos, nas áreas de hortifruti, mercearia, higiene e limpeza, eletro e confecção, além de farmácia.


Fonte: Wal-Mart

* Acabei de voltar de um local onde as comadres se encontram e tão p... da cara com a intromissão dos vereadores e lideranças do contra. Sabem exatamente que a concorrência é benéfica para todos, principalmente para elas que saem com a lista de compras na bolsa todo dia.

7 comentários:

Anônimo disse...

Estranho é que as próprias "entidades" e "lideranças empresarias" da cidade contratam serviços, compram equipamentos, etc. de fora de Lajeado porque é mais barato. E muitas vezes a diferença de preço é mínima. Mínima mesmo.
Existem várias empresas que foram criadas aqui, investiram aqui e geram riqueza aqui. Não vai nada para fora. Mas isto não é levado em conta. O que vale é o "preço", não importando se quem vai fornecer o prouto/serviço é de outra região ou até de outro país.
Então não se vê onde está a atitude altruísta de defender a economia da região quando aqueles que reclama do Wal-Mart preocupam-se apenas com seus próprios bolsos. E mesmo com diferenças pequenas de valor, volto a acrescentar.
Parece que só há este tipo de "mobilização" quando pisam no calo deles.
Se várias empresas aqui da cidade/região são relegadas por causa de pequenas diferenças de valor e precisam rebolar, como se diz, para poderem sobreviver, por que algumas não querem fazer o mesmo?
E viva a concorrência!

CONVERSAS DE DOMINGO disse...

Com certeza sendo um supermercado voltado às pessoas de baixa renda ,os de sempre , a quem não interessa, vão colocar impecilhos...é esparar pra ver

Heinz disse...

uhm...mim não confiar em cara pálida

ALCIR disse...

A empresaria que esta se vendo louca e mexendo os pauzinhos, por acaso, é a mesma que alugou sua loja para a Casas Bahia? Pelo visto temos agora um conflito de interesses.
Pimentar arde quando na dos outros. Ou o Benoit se manifestou contra a entrada das Bahia?

Anônimo disse...

Eu estou sabendo que se a comunidade não quiser a Wal Mart não virá. Cabe ao povo se unir e não os vereadores e a prefeitura e os empresários que tem seus salários assegurados. Vai ser bom pro super da casa que paga tão mal seus empregados.

Ezequiel disse...

Lí no jornal, que Estrela está mais afim (e já se mobilizando) para receber o WalMart do que capital do Vale. Veremos.
Se for em Lajeado, que seja no centro, tipo entre a Júlio e a Bento. No meio dos monopólios... Parece que ia ser bem mais saudável pro bolso do consumidor.

Ou em Estrela, quem sabe! Vai que dá!

Anônimo disse...

Em Estrela só tem gente dormindo e por isso pede-se silência alí uma vêz..
Obrigado...

hahahaha.........!