terça-feira, 7 de julho de 2009

VER PARA CRER...

O Jornal O Informativo, com reportagem de Danton Boattini Jr, também abordou nesse sábado a falta de apoio do governo Carmen-Zen aos proprietários que residem em prédios históricos.

O Secretário de Cultura e Turismo, Gerson Teixeira, assegura que em breve os moradores vão receber como incentivo, a isenção de IPTU:


“Não está tudo perdido (sic). Com a decisão da Administração de encaminhar isso como uma questão séria (sic), dá para fazer alguma coisa.”


Demorou, não é Prefeita? Porque muita coisa, desde que o seu partido está no trono em Lajeado, já se perdeu por não levarem a coisa a sério...

Nem o governo nem as entidades civis que adoram falar em planos turísticos para a cidade.

Uma quadra do calçamento original ainda resta na cidade, junto a beira do rio Taquari.


Mas, quem se importa?

5 comentários:

Heinz disse...

sonho meu...
e se formassem uma associação entre empresas relativamente grandes - tem o roal master e parece q agora vai ter rede vivo lá naquelas bandas da beira do rio - e esse povo desse uma arrumada naquele entorno ...já dava uma melhorada no astral e os clientes tlz não ficassem tão restritos ao lado de lá do saraquá
[ pô, nem é tão sonho assim...afinal, o pessoal do 'rede vivo' conservou e colocou uma cor interessante naquele paredão dos fundos, que era o marquart scherer (?)]

e pra fechar colocava os responsáveis diretos e os omissos no caso da queima/destruição da primeira casa de lajeado que ocupava o terreno ao lado da primeira rua para remotarem tijolo por tijolo a casa que deram um jeito de sumir de lá

geheimnis disse...

Cara,
essa prefeita já assumiu a secretaria de cultura só para vagar a sua cadeira na câmara de vereadores, lembra disso?

ela não é séria. ela não é competente. ela não se importa.

Anônimo disse...

ehehehehehhehe esse gerson é muito (sic) mesmo ehehehheheheheh a cidade merece ehehehheheh

Roberto Ruschel disse...

Outra atração neste local poderia ser a construção de umas machambombas (não confundir com ferro de passar com brasa). Eram veículos sobre trilhos que funcionavam por tração animal, cuja função era de deslocar para cima, ou para baixo nas barrancas do Taquari os produtos trazidos, ou que seriam levados pelas Gasolinas (apelido dos Barcos da época). Lembro que em 1971 quando trabalhei na Marquardt Scherer, nas quadras entre o antigo Trierweiller e o Frigorifico (hoje Ferrari), ainda existiam vestígios destes veículos e trilhos em tres locais.

Heinz disse...

eu colcava um barzinho/restaurante tipo aqueles que têm em sambaqui - ou sei lá quantos lugares mais - naquela casa antiga e lgl que está bem em frente ao belvedere maior, ao lado da escadaria...daí com o fim da reforma do vinagres prinz ( que tem um prédio industrial bem interessante), mais a casinha lgl, dava um jeito de tapear a esquina do trieweiler, arrumava a pracinha e a praçona dos sacis, ajeitava o prédio onde está a virgínia purper, valorizava com uma luz lgl o paredão que ficou nos fundos do antigo marquart scherer, botava um marco à estupidez no local onde tava a casa azul [ 1ª de lajeado (?) ]...ajeitava a casinha que aparece na ilustração deste título...e sei lá, acho q tava bom...
ah sim, colocava uma dessas machambombas interligando tudo
- a iluminação a gente deixa por conta da prefa, pq isso eles fazem bem...não conheço cidade mais bem iluminada que a nossa

bom, quem vai investir em tudo isso? eu que não, sou duro...só tô palpitando!