quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Arroio do Meio

Um dos locais mais bacanas da cidade. Seja no verão ou no inverno. Com ou sem lua cheia...
Da ponte pra lá, tudo asfaltado. Do lado de cá... tenho minhas dúvidas. Sinceramente? Deixaria assim. Mas, pediram a observação:

"Lajeado, que adora asfaltar paralelepípedo bem que poderia facilitar a vida de quem se utiliza da ponte para ir “por dentro” a Arroio do Meio e asfaltar aqueles lados. Está uma beleza do outro lado!"

Então: nenhum projeto em vista?

9 comentários:

Roberto Ruschel disse...

Semanalmente passo por esta ponte, para me deslocar entre as unidades da Minuano. Além do prazer que registro pela retina, faço uma economia de 6 km, ao não passar pela RS. A foto é antiga, pois a ponte foi toda recuperada. O acesso nas cabeceiras de ambos os lados foi refeito com paralepípedo, dando segurança ao ingressar nos pontilhões. Apesar da Laura não gostar, um asfalto do lado de Lajeado viria a completar uma rodovia, que nos mapas são pintadas em verde, sinalizando um percurso cênico.

Micro-man disse...

Não é possível que com tanta tecnologia os homens não encontrem uma maneira de evitar a impermaeabilização do solo das estradas.
Os asfaltamentos viraram moda, ou maneira econômica de resolver mais um problema...
O acesso pelo lado de Arroio do Meio não ficou harmônico com a arquitetura da ponte.
Creio qua asfalto não seja a solução para todos os casos, Roberto, e para o caso dos acessos a ponte velha para Arroio do Meio não é.

Thiago Sturmer disse...

O asfalto pode não ser harmônico do ponto de vista da arquitetura, mas pede para os mais de mil alunos de Arroio do Meio que vão à Univates pra ver se eles não gostaram dele...

Roberto Ruschel disse...

Como sempre, hoje passei por este trajeto. Realmente como afirma o MICRO-MAN, colocaram asfalto no acesso no lado de Arroio do Meio, ficando em paralepipedo somente o lado de Lajeado. Pena, mas roubaram um pedaço de nostalgia da ponte. A solução para evitar o asfalto existe. O problema é que ninguém herdou a tecnologia ou prática de assentar paralepipedos, onde o piso fique plano e alinhado. Veja que no centro de Lajeado, mesmo com a agressão de tubulações telefônicas, de esgoto ou elétricas, boa parte permanece aceitável, e foram colocados em 1950, ano em que nasci. Avaliando bem, acho até que o piso está em melhores condições do que eu.

Anônimo disse...

Ainda essa lenga-lenga do asfalto. Parece que micro-man ainda não conhece a globalização. Estradinha de terra ou de paralelepípedo é bom pra quem quem vai passear de vez em quando. Pra quem usa o caminho sempre, asfalto com certeza será sempre melhor (e se tu qusier posso defender isso de um ponto de vista ecológico).

Micro man disse...

Desculpa seu Anônimo, não me importa muito o que anônimos dizem. Servem, para mim, como patos ao caçador: serem abatidos, as vezes com a sua própria previsibilidade...

Anônimo disse...

Mita diferença que faz eu me chamar anônimo ou micro-man (homem-pequeno). Já que a opinião de anônimos não conta, devemos desconsiderar a tua. Como é pequeno teu pensamento e tua compreensão. E essa discussão dos anônimos também já encheu o saco. Se há a possibilidade, pode ser usada.

Anônimo-Man disse...

sr. Micro-man, se tem argumentos bons deve usá-los. tentar desqualificar alguém que te contraria apenas dizendo que opinião de anônimo não conta, é muito pobre e demonstra que não tem argumentos melhores.

Micro Man disse...

Ta melhorando o debate!
Já sei a qual anônimo me dirigir...