quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

LAJEADO FORA

Há vagas para dependentes do crack nos hospitais da região. Os viciados podem se internar graças a um convênio com a Secretaria Estadual de Saúde. Os hospitais que se "solidarizaram" com o problema vão receber R$ 1,9 mil por mês para atender os "pacientes".

Procure sua vaga nos hospitais de Arroio do Meio, Encantado, Estrela, Roca Sales, Taquari, Teutônia e Venâncio Aires.

Fonte: Zero Hora


6 comentários:

geheimnis disse...

lajeado fora??? entendi direito???

Anônimo-man disse...

Já pensou no absurdo: 1,9 mil por mês dos impostos que a população paga vão ser usados para pagar tratamento pra viciado (e como consumidores de crack, provavelmente bandidos). Enquanto isso um trabalhador que fica doente tem um atendimento miserável prestado pelo sus e não consegue os medicamentos que precisa e tem direito de receber gratuitamente. Completa inversão de valores. Pra bandido tem os direitos humanos. Pra viciado tem tratamento "di grátis". Pra quem paga os impostos, nada. Ah, tem sim: uma taxas extras pra pagar quando precisa de um serviço público, miseravelmente prestado com uma cuia de chimarrão na mão.

JORGE LOEFFLER disse...

Lady Laura sabemos que o custo do tratamento de um viciado é alto para os nossos padrões. Por outro lado, vivemos numa sociedade em que todos contribuem, mais ou menos, de acordo com seu rendimento e suas despesas que geram tributos. Tributos que são arrecadados pelos entes públicos, município, estado e união. Logo nada há de anormal em tal tratamento ser bancado com recursos oriundos dos tributos. Não podemos igualmente esquecer que o estado ao não impedir que drogas cheguem às mãos de cidadãos que se tornam consumidores, está deixando de cumprir uma das suas que é a de prover de segurança a cidadania.
Se tal não faz, independentemente de quais razões, justo que banque tais tratamentos.
Penso que tenha sido claro o bastante.

Anônimo disse...

e porque não banca tratamento de saúde (digno) para os que pagam os impostos e que por vontade própria evitaram as drogas que também lhes foram oferecidas (mas tiveram mais força de vontade para resistir a elas). concordo que o Estado deve oferecer tratamento aos viciados. Mas só depois que todos os outros tiverem assegurado tratamento digno para a sua saúde. só depois. viciados em geral não geram muitos tributos. ainda mais os viciados em crack. o principal produto que consomem nem tributado é.

JORGE LOEFFLER disse...

Lady Laura, por mais explícito que tenha sido sempre há os que não querem entender.
Aqui ponho um ponto final na minha participaão neste assunto.

Micro Man disse...

Cada um de nós carrega as suas próprias amarguras.

Alguns querendo condenar os outros pelo fracasso do Estado, dizendo isto não lhes pertencer, querendo eximir-se de sua responsabilidade.
Continuam a tratar o Estado como um ente privado, refém da disputa insana do mercado. De troco ainda querem o "direito adquirido" e, a título de "alta carga tributária", manipular o custume e a tradição. Pautam o próprio comportamento diário pelo "Jornal Nacional" o "Big Brother".
Neste meio, entre outros, estão os dependentes e viciados em alcool, crack, cocaína, remédios, etc. Nunca foram casos isolados. Supor que estes viciados mereçam tratamento diferente de não viciados é acreditar que uns são humanos, outros são mais.

Os Nazistas também pensavam assim.