quarta-feira, 26 de novembro de 2008

CASINHA CORAJOSA

Na Saldanha Marinho aprendi a andar de bicicleta com minha comadre Úcia... Assim me lembro.
Essas casinhas, sem jardins, de porta na calçada, convidam as cadeiras para uma prosa na calçada... Assim me parece.

Um comentário:

JORGE LOEFFLER disse...

Esta velha casa corajosa e resistente me fez lembrar de minha filha e netos. A casa que outro dia fotografei por que haviam arrancado um ávore enormre é muito parecida com esta. Só que os meus afetos habitam Estrela.
Falando em derrubar casas a fim de implantar pombais, não me venham com edifícios, pois ali as pessoas são amontoadas, umas sobre asoutras, faz alguns dias estive na Avenida Carlos Gomes e sente enormedor no peito, pois lá nada mais existe do meu tempo de juventude. Somente concreto e vidros. Que merda gente!!