segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Varalzinho de Belém...

Arquivo
“As cidades não existem.
Existem as pessoas que nelas respiram
e que por elas (as cidades) caminham.
Não me apego a edifícios.
As pessoas, essas me fazem falta.”
Eduardo Galeano

Um comentário:

JORGE LOEFFLER disse...

Embora este senhor seja o escritor da moda, o que afirma, se visto do ponto de vista poético é compreensível e deve ser aceito. Não podemos esquecer que é a cidade dos entes dentro da federação é o único efetivamente concreto e palpável. Pois na cidade se nasce, se vive e se é sepultado ou modernamente, cremado. A cidade ainda que a maioria dos Prefeitos ignore, e aqui temos um exemplo, é um ser vivo que pulsa e vibra noite e dia. Exemplo: em que horário ocorrem invasões em áreas desocupadas, com o surgimento de novas favelas? Em que horário a bandidagem age mais, idem a prostituição e o tráfico de drogas, se não durante a noite?
Por esta razão as cidades deveriam ser objeto de maior cuidado por parte de seus Prefeitos, os quais na maioria das vezes não o têm, ou por despreparo ou por má fé.