segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

ABUTRES

“Quando termina um filme e começam a subir letrinhas que ninguém lê, eu procuro olhar para as pessoas. Procuro interpretar as reações de cada um. Vejo de tudo: expressões de choro, pessoas aliviadas, descansadas, felizes, enfim, naquele instante é revelado o efeito do que foi recém exibido.

É um ótimo termômetro.

Costumo, também, logo depois de terminada a sessão, pensar no que - ou se - escreveria algo a respeito. E aí acontece um fato interessante: alguns filmes não me inspiram a falar sobre cinema. E,contraditoriamente, na imensa maioria das vezes, são obras excelentes e muito bem feitas.

Foi exatamente isso que aconteceu depois de Carancho, um show cinematográfico de Pablo Trapero, com o excepcional Ricardo Darin e Martina Gusman, candidatíssimo ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, e uma verdadeira aula de como fazer cinema de qualidade com baixo orçamento.”

Beto Canales

Na íntegra: http://cinemaebobagens.blogspot.com/


* Nos cinemas em Porto Alegre...

Um comentário:

Laura Peixoto disse...

http://cibercolonia.blogspot.com/